Princípios de Medição – Parte 2

Produtos

3. Princípio de medição por sensor Galvânico

  • Para oxigênio (O2), em %VOL.
  • Faixa de medição normalmente 0-40 %VOL.
  • Tipo seletivo (i.e. normalmente este sensor é direcionado para medir algum gás específico).
  • O sensor galvânico tem um tipo de reação eletroquímica. O oxigênio, quando passa pela membrana de separação fica reduzido (ganha eléctron) no catodo; devido a isso, simultaneamente e na mesma taxa, o anodo gera uma reação de oxidação (perde eléctron), acelerando a reação eletroquímica. A corrente que passa por causa da reação de redução e oxidação é convertida em voltagem pelo resistor, e depois na leitura de gás.
  • Atenção: Sensor sempre está em funcionamento, mesmo quando detector está desligado. Portanto se deixar este sensor desligado por vários dias, pode haver alteração na leitura do sensor quando for ligado.

 

4. Princípio de medição por sensor Eletroquímico

  • Para gases tóxicos, em ppm, ou oxigênio (O2), em %VOL.
  • Diversas faixas de medição, variam de acordo com o gás alvo.
  • Tipo seletivo (i.e. normalmente este sensor é direcionado para medir algum gás específico).
  • Este sensor utiliza um circuito para manter o potencial entre o anodo e catodo constante.
  •  Quando um gás alvo é eletrolisado, é gerado um aumento de corrente no sensor que é proporcional à sua concentração. Desta forma que o sensor calcula a concentração de gás presente.
  • Atenção: Sensor de monóxido de carbono (CO) passível a sofrer interferência cruzada pelo gás hidrogênio (H2), gerando leitura falsa. Importante notar que a Nakayama já possui diversos modelos de sensores resistentes à interferência do hidrogênio (H2).